Volte ao SPIN

segunda-feira, 11 de junho de 2012

A História de Idéia. Versículos 74

..........................
E por acaso para que mais loucura do que Bush=Deus?
Para que loucura maior
.
.
.
.
.
Ta vendo?
Eu jurei que não ia escrever o mais o nome deste H=Homem
Mas terminei escrevendo
São meus velhos olhos acostumados com a podridão
Vide versículo 66 com medo da morte
Escrevi sem vê
Quando vi já estava escrito
Eu havia dito que não ia escrever o versículo 66
que iria tomar uma atitude avestruz
esconder meu rosto
Idéia Sem Rosto
Esta História de Burca Cristã = islâmica
.
.
.
.
74 Sou Idéia
JL
Idéia Sem Rosto
Tenho vários nomes
Eu sou Antonio
Somente isso
Sem sobrenome nenhum
Esta pessoa existe
E mora no Quebra Anzol, na área rural de Piracanjuba
E por acaso você sabe qual o nome do rio que banha esta cidade=realidade
Eu não sei
Eu gostaria de saber=olhar=ser
Um momento....
Vou sair um pouco para dar bom dia à porteira=parteira
À mãe preta
Bom dia, mãe preta!!!!
Bom dia, sol!!!!!
Sol, bom dia!!!!!
Ele: bom dia, meu filho... Como estás?
Eu: estou bem... andei por aí... andaram querendo me matar... mas tudo 
bem....sou tão acostumado com isso que já não tenho medo da morte, a não ser 
da dor da morte.... de forma que se a morte=fim vier, qual o problema? 
Nenhum!!!
A inexistência é delícia.... Você já pensou você morrer e deixar tudo para 
trás?
Deixar estes papéis=nomes=personagens=olhos=seres?
Que delícia, a morte?
Dias atrás, no dia da morte de JL = John....José..... Libertário morto por 
um indivíduo que padecia=padece de ortonomia=vários nomes
Dei vontade de morrer
Só não morri por causa da chuva
Esta chuva que não pára de molhar=umedecer
Sei lá, quis morrer para não vir ao mundo
Para não publicar este livro
Para não ir para o Açúcar Invertido=Res do Chão=Rio de Janeiro
Sol: pois não vá, meu filho
Idéia: talvez eu não vá... ainda não sei ao certo... na hora eu sei.... 
talvez eu chegue de surpresa....assim como o ladrão....e não é assim que 
está escrito na Bíblia?
Sol: meu filho, que tal parar um pouco de escrever? Que tal reservar o 
próximo capítulo para ir à frutaria do seu Francisco? Vá... Leve a sua velha 
máquina fotográfica.... fotografe qualquer coisa e me mostre. Quero te ver 
meu filho. Quero ver tuas imagens. Quero ver teus olhos. Meu filho, te amo. 
Antes de tudo, somos amigos, não somos. Ah, nós juntos podemos fazer tanto 
pelo mundo? Que tal começarmos agora? Faz a tua parte que faço a minha. Que 
tal fazermos juntos?Quero te acalantar=amar. Meu filho, como te amo! No dia 
da tua morte, “convide-me para morrer contigo.” ( Alexandre Adalberto 
Pereira )
Idéia: então ta bom. Vou sair
Até
Sol: até
.